Caminho de Santiago pedalando em família

558928_10151511989438787_337479320_n[1]431440_10151511989093787_1653954520_n[1]
320124_10151511995603787_347211348_n[1]228509_10151511997983787_720934709_n[1]
185575_10151511996273787_1322570636_n[2]10444_10151511989848787_1628949621_n[1]

O que você pode fazer no plano desportivo, barato, bonito e em família? Este ano, com a crise, há que procurar soluções para as férias e o Caminho de Santiago é uma das melhores formas de apreciar a Natureza, a cultura, a Arte, e fazer esporte uns dias sem gastar muito dinheiro dormindo, cozinhando em albergues. Os que temos crianças pequenas parece que temos que permanecer para a praia ou para a casa de campo nas montanhas e nos deixar de aventura por um tempo, mas na Sport Life não pensamos assim e este ano se meteu entre a sobrancelha e sobrancelha fazer os últimos 100 km do Caminho de Santiago com as crianças em bicicleta… era uma oportunidade única de viver uma experiência completamente diferente de um turbilhão de acampamentos, celulares, tecnologia, video-jogos e férias tradicionais.

Como conseguir isso? Confesso que me custou a levar a cabo o projecto, os meus filhos têm 7 e 12 anos, recém-completados. Por isso era imprescindível ir com outra família com crianças que montaram na moto normalmente, os que tendes crianças já sabem difícil e pesado que se colocam os filhos, se os levamos a andar de bicicleta ou a fazer algo pela montanha sem companhia, em vez de se portarem de maravilha quando estão com os amigos. Fran e eu preferimos levar 10 crianças com nós que nossos 2 filhos sozinhos o que bem se portam 10 e que mal 2!

Felizmente Juanma Montero tem duas crianças de 13 e 8 anos, que se dão bem com os meus, e que montam espetacularmente bem em bicicleta (com esse pai era o normal!) E sua mulher estava disposta a levar a carrinha com as mochilas e sacos de dormir para evitar o peso das deslocações em bicicleta. Depois de mil mudanças de data, conseguimos fazer um buraco na agenda para pedalar 5 dias. Eu não podia acreditar, até que eu não estava em o Cebreiro pedindo as credenciais não me fiz à idéia.

Saímos de San Xil com as crianças, a cada dia fazíamos etapas curtas, como caminhantes, entre 20 e 28 km, as crianças iam sobrados, queriam mais a cada dia, mas preferíamos parar ao meio-dia, chegar ao albergue com tempo para o profissionalismo, comer e piscina durante a tarde. Assim não ter passado maus momentos e desfrutaram do Caminho.

O melhor: veja como seus filhos se esquecem de tecnologia e aprendem que é possível viver com o posto, veja pedalando por estradas com história e tradição, valorizar o selo do peregrino e um pai-nosso em cada igreja ou capela, dormir em beliches com outros peregrinos e compartilhar a comida nas cozinhas dos albergues e se sentir mais a maré que chega a Santiago, com o sorriso de pôr cada vez que alguém perguntava quantos anos tinham-lhes gabava por andar de bicicleta tão bem.

O pior: Como fizemos menos de 200 km de bicicleta não nos deram a credencial de peregrinos, pois só os que andam 100 km no mínimo, se dão, mas nos deram um certificado familiar para que pudéssemos salvá-lo.

E no último dia o meu filho mais velho caiu no plano bobo e foi quebrado o rádio, assim que chegou a Santiago direto ao hospital e ao Obradoiro com o gesso, mas de volta para casa, não há mais que se orgulhar da história e do Caminho de Santiago, já tem um monte de amigos que pediram a seus pais fazê-lo no ano que vem… Isto promete se tornar um clássico.

De Santiago, fomos para a Fisterra ou Finisterra, o fim do mundo para ver o pôr-do-sol e fazer nossas promessas de peregrinos. Aqui deixo algumas fotos para que vejam a cara de felicidade do grupo de bicigrinos e animéis às vossas famílias a fazer o Caminho de Santiago, a experiência é de 10, principalmente para as crianças que vivem imersos em uma cultura de consumismo, televisão e jogos.

Leave a Reply