Carta a Santa Clauss | Você Limites? Mais além deles!

Querido Santa Clauss,

Imagino que nessas datas estará liadísimo com todos os pedidos que você terá de crianças de todo o planeta, mas uma vez que este ano fui muito bem eu gostaria que me concedieses vários desejos que vão além de simplesmente material, em resumidas contas, eu gostaria que me ayudases a melhorar algumas questões sobre o atletismo paralímpico, que não acabo de entender.

– Em primeiro lugar eu gostaria que as pessoas do IPC Athletics, tanto o seu presidente o senhor Jason Hellwig como toda a sua equipe, tivessem em conta que o vídeo promocional de um Campeonato do Mundo, além de aparecer grandes figuras do atletismo em cadeira de rodas das classes altas, também é importante que atletas com deficiências mais severas promovam este evento, atletas como Michelle Stilwell (pulverizou o recorde mundial dos 200m em sua categoria neste Verão), o Suíço Beat Boesch (fez o mesmo em 100) e algum atleta com paralisia cerebral (estes também fazem parte do espetáculo), desta forma as pessoas que estão na mesma situação, talvez encontrem motivação para começar a praticar este esporte, além sinceramente tenho sérias dúvidas sobre o que os atletas têm maior poder inspirado, aqueles que apenas têm problemas em seu dia-a-dia, ou os que precisam de ajuda até para subir a sua cadeira de rodas…

– Seria ótimo que pudesse explicar a estes senhores o quanto é importante para todas as categorias, desde as mais baixas até as mais altas que tenham um número de testes determinado e que cumprindo com os princípios fisiológicos básicos, todos os atletas a partir das deficiências mais severas para as mais leves têm tanto em diversidade como em mundiais, um conjunto de testes a partir da velocidade ao fundo, passando pelo meio-fundo, bem como um vasto leque de concursos (saltos e lançamentos).

– Talvez seja pedir muito, mas gostaria também que, como em muitos outros esportes tivéssemos um mundial todos os anos e que, por se tratar de atletismo, que se celebrou no final de Agosto ou início de Setembro (Outubro se celebra no hemisfério sul), seguindo os princípios básicos de periodização do esporte e não como o deste ano, que se assemelha mais a uma periodização de esqui ou handebol.

– Eu também adoraria que os treinadores e atletas tivéssemos mais união para reivindicar nossos direitos. Que não tenhamos medo de ser coagidos e que, sob o respeito e a diplomacia possamos erguer a nossa voz e fazer-nos ouvir. Que tanto atletas como treinadores fazemos propostas coerentes e que quando se cometam barbaridades como os critérios de mínimas que estabeleceu IPC para o Campeonato do Mundo nós plantemos e faça com que todos os membros do IPC Athletics certifique-se de que o anel não passamos.

Poderia continuar escrevendo linhas e linhas na carta e fazer você perder horas de seu precioso tempo, mas devido empacotado que imagino andarás eu gostaria de somente pedir-lhe um par de favores mais:

– Uma reunião breve, em Christchurch (Nova Zelândia) (eu pago os cafés) com o presidente do Comitê Paralímpico Internacional o senhor Philip Craven e o chairman do atletismo Jason Hellwig para explicar brevemente o mal que estão fazendo as coisas e o rumo que devemos tomar, em conformidade com os princípios básicos deste esporte (gestão, planejamento, desenvolvimento do esporte de base, respeito todas as categorias, desde as classes mais graves para as mais leves,…).
– Fazê-los entender que precisamos de uma vez por todas criar uma Federação Internacional que regule o atletismo adaptado e que seja uma entidade independente do Comitê Paralímpico Internacional. Um organismo que assegure o desenvolvimento deste esporte e onde o pessoal que trabalha no mesmo seja altamente qualificado, com conhecimentos em gestão esportiva, fisiologia esportiva, etc…

Obrigado por dedicar um pouco do seu precioso tempo para ler a minha carta. Como eu acho que para o ano de 2011 todos os meus desejos serão cumpridos, se voltarei a escrever (mal que lhes apesar de alguns), felizmente eu tenho bastante paciência e entre meus dois-três sessões de treino diárias gosto de dar voltas ao coco para ver que coisas são atualizáveis em nosso esporte, atualmente muitas, mas eu acho que com propostas coerentes que se vão organizando e melhorando o mesmo.

Espero que me digas se foi possível transmitir tudo isto aos dirigentes do IPC Athletics, eu vou portándome bem para que possa me conceder este tipo de presentes.

Obrigado por tudo,

Santiago Sanz

Atleta profissional em cadeira de rodas

Ldo. Em Ciências da Atividade Física e do Esporte pela Universidade de Valência

Pesquisador de parâmetros fisiológicos sob condições de hipóxia moderada e extrema

Leave a Reply