CORRER NA PRAIA | Triatlo na Sport Life

A praia é um ingrediente muito comum em nossas vidas, que ganha um papel especial na época de verão. É um lugar ideal para relaxar, descansar, se refrescar, quando as temperaturas são altas, mas, e para treinar? Podemos transformar o nosso local de descanso, dada a nossa mentalidade de atletas, no cenário habitual do treino de corrida no verão? Quais as vantagens de correr na praia sobre outras superfícies e, acima de tudo, que inconveniente pode nos acarretar, se tornamos a areia da praia, no palco habitual de nossos treinamentos de verão? Nesta nova entrada no blog tentaremos encontrar respostas para estas questões, mas antes, faremos uma série de esclarecimentos sobre o tipo de superfície que nos encontramos quando corremos na areia:

AREIA SOLTA (seca)

P8191195

“A areia solta é mais benéfica para andar do que correr”

OK:

  • Benéfico andar, mas é o menos adequado para fazer corrida contínua
  • Melhora a propriocepção e força em nossos tendões, mas só é conveniente, em trechos curtos, com trabalho fracionado de 15″-30″, recuperando a pé

KO:

  • O solo, por não ser estável faz com que em cada passada, nossas articulações inferiores sofrem ao ter que se adaptar ao terreno, aumentando o risco de lesões.O maior problema vem no impulso, por não ter uma base sólida sobre a qual apoiar o pé, músculos, tendões e ligamentos trabalham de uma forma excessiva para impulsionar o pé e estabilizarlo, favorecendo, desta maneira, as sobrecargas musculares e possíveis lesões no tendão.

AREIA MOLHADA (beira do mar)

OK:

  • Você pode fazer corrida contínua, embora melhor só aquecer e soltar (entre 20′-30′ como máximo) e trabalho fracionado de força e técnica
  • Você pode terminar o treino com 5′-10′ muito fáceis descalço quase tocando a água dos benefícios ambientais.

KO:

  • Apesar de ser mais compacto e firme que a areia secar, mesmo assim continua sendo deformável, o que nos faz perder resposta em fase de impulso.
  • É habitual que esta zona da praia inclinada lateralmente, o que nos gera uma dismetría na pedalada que pode provocarnos alterações no posicionamento do quadril e lombar.

“A areia molhada é o terreno ideal para correr, mas sem exceder os 20 a 30 minutos”

SE VOCÊ NÃO PODE RESISTIR A TENTAÇÃO DE CORRER NA PRAIA, O MAIS ADEQUADO É:

Se ao final você decidiu correr pela praia, olhando as horas em que a maré este o mais baixa possível (baixa-mar) e procura os trechos com menos inclinação. AH!! e SEMPRE COM SAPATILHAS!!. Impede que se entre água nas mesmas, pois o pé molhado pode provocar assaduras e feridas na pele. Evita que as sessões sobre este terreno sejam de longa duração. Um treinamento recomendado pode ser correr 20-30 minutos sobre terreno mais firme (asfalto) e terminar a sessão com 15-20 minutos correndo pela praia. Depois descálzate e corre 5 descalço pela praia, recuperando sensações e sentindo como funcionam os nossos apoios quando corremos. Para finalizar anda 10, com água pelos tornozelos, a arena irá proporcionar um efeito de massagem, vai facilitar o retorno venoso e a água refrescará seus pés, reduzindo os processos inflamatórios.

Leave a Reply