Cozido madrilenho em um restaurante chinês

comidachinaO cliente não sempre usa a razão. Dar razão ao cliente é a posição confortável em muitos serviços, o difícil é criar para o seu cliente. Hoje dando uma formação em um centro, os técnicos me ign disse como perante as “sugestões” de alguns clientes, se alteram ou mediatizaban os conteúdos das aulas. Como exemplo, é o caso da pessoa que entra em uma classe de um nível muito superior ao seu e, no final, o instrutor ainda avisa que não é a mais indicada para a sua condição, o cliente insiste em ficar, e com certeza, a classe foi excessiva para o seu nível, em seguida, coloca uma “sugestão” para que o instrutor altere os conteúdos, ou também é o caso do grupo que solicita à direção ter uma atividade de artes marciais porque há um professor e várias pessoas que querem praticar uma determinada atividade que não existe; danças de salão, tai-chi, karatê… e perante a insistência de vários parceiros, se abre a essa atividade. Você está estratégias que, a priori, parecem como uma retenção do cliente concedendo desejos, sugestões e critérios, acaba quebrando a missão do centro e a credibilidade das taekwon. No final em vez de um centro de Fitness com uma clara missão e objetivo, temos praticamente um mercado onde tudo tem lugar.

Quando vamos a um restaurante chinês, sabemos que vamos encontrar comida chinesa e não podemos pensar em pedir uns calos com grão-de-bico, para isso existem outros serviços. No entanto, quando os clientes acedem a um centro, tentam fazer com que você tenha as actividades que eles gostam; os entusiastas da musculação pedem mais peso livre, as senhoras mais GAP, os meninos algo de Kick-boxing, os avós que tenham tai-chi, etc., E muitos centros acessam a essas solicitações e o que começou como um centro de bem-estar, acaba sendo um espaço para culturistas, entusiastas de Van Damme, mais com sua idéia do tai-chi para todos, etc. No final o centro perde a sua filosofia, e já não sabem qual é o seu serviço, nem a sua missão.

Com tal de contentar a um ou vários clientes com medo de perdê-lo, os centros acabam perdendo a missão e filosofia inicial. E o que é ruim, não é isso, mas que esta medida confortável, acabará contaminando o resto dos clientes. Por não sacrificar a um, contaminamos a 100

É necessário que haja uma clara missão e firmeza do serviço que se quer oferecer, desde a direção até o instrutor já espalhe uma sugestão a resposta deve ser a mesma em todos os cargos. Se aceder a um centro desportivo, olha antes que tipo de comida que servem e, em seguida, pedir algo que não é sua especialidade, se a tem. Bom proveito… digo treino!!

Leave a Reply