Cuidar do assoalho pélvico, uma disciplina obrigatória

incontinencia-urinaria-baixaAs mulheres atletas, em especial as corretoras e as de esportes de força explosiva têm um treino extra, o assoalho pélvico, em comparação aos homens, que também têm que trabalhar, porque também podem ter problemas de incontinência urinária com a idade.

Cuidar do assoalho pélvico é fácil e muito eficaz, digo-vos por experiência própria, que eu tenho um assoalho pélvico saudável apesar das ‘jurídico brasileiro’ que enchem o meu currículo, que começa como atleta, mãe de 2 filhos, com 2 partos naturais, e segue com 19 maratonas, eu não sei quantas meias e corridas de montanha, muitos anos de bicicleta, tanto como na estrada e de montanha, e agora também triatlo, que já passado o meio Ironman, já tenho mais fé de chegar a ser interrompeu no Ironman algum ano destes. E felizmente, nem uma gota!

hipopresivos-yola-moto

Minha primeira aula de hipopresivos com Moto escola há já 4 anos.

A princípio, havia apenas exercícios de Labirinto, após a gravidez, e isso é o que eu fiz e assim pude correr depois da ‘quarentena das avós’ sem problemas nos dois partos. Mas a chave para o meu foram os exercícios hipopresivos, porque eu sou muito sortuda de ter descoberto com Moto Técnica, amiga dos tempos de competições de mountain bike, que estudou INEF e agora é professora certificada do método hypopressive, e porque me conhece e sabe o ‘burro’ que sou, foi tomado como algo pessoal acabar com a minha diástasis do reto abdominal, já que minha parede abdominal não se fechou e ele ficou aberta com uma protuberância no meio muito rara, possivelmente produto de jurídico brasileiro de sessões de abdominais e muitas corridas sem ter fechado o reto abdominal depois de uma gravidez. Fui ao médico e ele me disse que era um problema de estética, que teria que operarme para ‘coserme’ os músculos e fechar a abertura, assim que deixei passar, mas graças a Moto Campeã, eu estava trabalhando duramente um ano com hipopresivos, me custou muito, começando de menos zero, e, pouco a pouco, o problema foi resolvido. Mas sou consciente de que tenho que continuar fazendo hipopresivos cada noite, especialmente se esse dia tenho corrido e tenho-me esforçado em série ou mudanças de ritmo, meus ‘jurídico brasileiro’ fizeram que tem ‘deveres hipopresivos’ para toda a vida. Obrigado Moto por me convencer e me perseguir até que eu consegui. Deixo-vos o link para o seu facebook, para que você possa encontrá-la e aprender com ela: Facebook Hipopresivos

Apesar de que o método hypopressive desperta amores e ódios em partes iguais, tenho de dizer que, para mim, tem sido a solução, e o meu caso não era fácil, era de operação de estética, mas no caso de outras amigas atletas com problemas de incontinência urinária grave, as forcei a tentar pelo menos 3-4 meses, o método hypopressive, e graças a isso, não tiveram que passar por cirurgia. Assim que a nós nos vale, e de partos, de correr, de esporte e de mulher, algo que precisamos saber, ao menos, temos vivido a experiência e o corrigimos, assim que alguém sem filhos ou sem xoxota me diz que o hypopressive não funciona e que inclusive prejudica, nem fico com raiva, apenas digo: perdoa, te respeito, mas enquanto eu ouço, eu vou fazer os meus minutos de hipopresivos ao dia, porque quando eu cabreo me ‘abrem as carnes’, como diriam os avós.

Estou convencida da eficácia dos hipopresivos, e sempre digo que deveriam ser explicado na aula de preparação para o parto e devem ser financiados para se recuperar depois do parto.

Por isso, aproveitando que hoje é 14 de março, e que se celebra o Dia Internacional da Incontinência Urinária, lembro-me da importância de trabalhar o nosso assoalho pélvico, já que sejamos mulheres, homens, jovens ou idosos, tenhamos tido filhos ou não, se nos escape o pis alguma vez ou não. Não importa, todos nós podemos sofrer problemas de Incontinência Urinária (IU), com os problemas que supõe, não é apenas uma questão de vergonha e de colocar uma compressa ou tecido especial para sufrirlo em silêncio, é um problema físico que pode resolver.

Existem várias soluções para a Incontinência Urinária, eu sou fã dos hipopresivos, mas cada pessoa deve escolher a solução que melhor se adapte à sua pessoa e condições. Da mesma forma que você decidir usar as bolas chinesas ou fazer outro tipo de exercícios para o assoalho pélvico, o importante é que soluções para o problema e não aceite que te escapa o pis como algo normal, coisa da idade, ou uma vergonha que não se atreve a confessar.

pode Nos passar a todos, deixo-vos este infográfico com os dados de SCA que eu gostei muito, está muito bem explicado com dados fáceis de gravar na memória.
Pense a Incontinência Urinária afeta 400 milhões de pessoas a nível mundial e cerca de 6,5 milhões de espanhóis.

Uma em cada quatro mulheres com mais de 35 anos e um em cada quatro homens com mais de 40 anos sofrem perdas de urina.

Estes números indicam que a incontinência urinária (IU) tem uma prevalência de 15%, superior à diabetes (10,5%), artrose (10%) e osteoporose (8,5%). Você pode passar a ti mesmo que você seja uma pessoa saudável e atletas, com mais probabilidade, por ser um esportista.

Leave a Reply