Esporte divertido | O peixe Rapaz come o grande

Está muito longe de ser a rvista mais vendida do que fazemos, mas com a diferença é que temos de mais carinho. Quando lelga dezembro a partir da redação do Sport Life lançamos a nossa revista para famílias, desportistas, o que temos chamado este ano como o “Esporte legal”. É o nosso grão de areia para ter muitos atletas no futuro, não campeões que isso não é importante, mas adultos que tenham uma vida mais saudável e mais feliz, porque se acoplaram ao esporte desde crianças.
Este é o texto que escrevi como introdução a revista que já está à venda nos quiosques.

ddivertido

“Se você deseja um campeão na família, treine-se você….enquanto deixe que seu filho jogue feliz”. Alguém enviou-nos uma foto com este lema, a redação do Sport Life. Era uma bandeira de um clube de rugby. Desde que vi pensei que não se podia resumir melhor a mensagem que queremos enviar a partir deste especial de SPORT LIFE com o que vos queremos dar o máximo de informação para os/as pais/mães deportistasLos crianças, mesmo competindo, devem jogar para fazer esporte. O último que deve ser a atividade esportiva é algo estressante para ele. Jogando a fazer esporte se impregnará, sem que se dê conta, os valores de companheirismo, superação, etc., E essa é a grande vitória porque marcará para sempre e para melhor a sua personalidade.

Hijo_Jugar feliz
Na redação temos falado muitas vezes que quase pior do que uma criança não encontre um ambiente familiar favorável ao esporte é que está com uns pais loucos pelo esporte que tombar nele as esperanças de ter um campeão na família. Eu que venho do jornalismo ciclista, não posso dizer as vezes que um pai me disse isso de “eu tenho um filho que pode ser o seguinte Indurain”. É claro, nenhum deles cumpriu as expectativas, já que Indurain quebrou o molde quando nasceu em Mococa lá por 1964. E o mesmo Nadal com o tênis, Mireia Belmonte, a natação ou Javier Gomez Noya no triatlo.
Na internet você pode encontrar casos já de denúncia como o da menina americana, de pais ambos os triatletas, que presumían de que a menina tinha de terminar uma meia maratona com 6 anos. Em nossa opinião, e a dos médicos que recorremos na redação do Sport Life, é algo longe de ensinar que o desejo pelo dano a saúde atual e futura, que pode sofrer “o menino prodígio”. Todos, em algum momento, temos que pensar que o nosso filho tem algo de especial, mas o que tem de especial, não é que vá ser um astro do esporte, mas de algo muito mais importante: simplesmente é o nosso filho.
Eu acredito firmemente que a melhor satisfação para um pai, para além dos troféus ou medalhas que eles se encontram no quarto de seu filho, é verificar como adquire do esporte os valores de compromisso, companheirismo, esforço e respeito com seus rivais e ter para sempre o coração de um atleta. Lhe tenha tocado a genética que lhe tenha tocado, porque mal ou bem de todos nós um atleta dentro. Espero que este especial “Esporte Legal” da Sport Life vos ajude a fim de que o vosso filho se envolver para sempre ao esporte e aos seus valores.

@franchicosport

Leave a Reply