Na hora de refletir… o que Apliquemos ciência!

Depois do meu périplo de testes da semana passada, com as maratonas de Boston, no dia 20 e Londres, 26, foi realizar uma análise das variáveis que mais correlacionados com o desempenho no teste.

Isto não significa que se ganhe ou perca uma carreira, pois ao final, não se controlam as variáveis dos adversários, mas sem que se pode admitir que poderia render mais ou menos, se compararmos as mesmas variáveis, as quais, são medidos nas mesmas condições e sob um mesmo protocolo.

Antes de começar a aquecer no teste de Boston.

Antes de começar a aquecer no teste de Boston.

Enquanto que, em Boston, tive uma estadia muito tranquila, treinando e descansando. Em Londres, a quantidade de atos que tive antes da prova (visita a escolas, photocall, conferência de imprensa,…), vieram abalar um pouco a “frescura”, com o que, teoricamente, afronto as competições.

Durante uma conversa com os alunos em um centro de educação de Londres, no passado dia 23 de Abril.

Durante uma conversa com os alunos em um centro de educação de Londres, no passado dia 23 de Abril.

Para ser objectivos meus melhores condições encontradas quando os valores do parâmetro do domínio da freqüência da variabilidade cardíaca de HF são ≥ 6,5 ln ms2. Vocês dirão: Que diabos são esses valores? Os mesmos correspondem a medidas de variabilidade cardíaca em estado de repouso, logo ao levantar. Em concreto, esta variável indica se o organismo está mais ou menos predisposto a fazer um esforço, e, a mesma, deve transformar-se a expressão logarítmica, pois em sua unidade natural (Hertz), não atende aos critérios da estatística paramétrica que utilizamos para realizar as análises pertinentes (Hautala, A. et al., 2003)

Aqui você tem os dados das últimas provas disputadas, onde se observa claramente que foi em Boston, onde meus condições para competir eram as mais adequadas, em seguida, seguiram-se a prova de Kentucky, Charleston, Os Anjos e bem abaixo desse estado ideal Londres.

15/03/15 Maratona de Los Angeles 6,530877628 ln ms2

28/03/15 Cooper River Bridge 10K (Charleston) 6,754604099 ln ms2

4/04/15 Papa Jhons 10 Miler 16,09 Km (Louisville) 6,966024187 ln ms2

20/04/15 Maratona de Boston 7,167809184 ln ms2

26/04/15 Maratona de Londres 5,241747015 ln ms2

Estes dados como já mencionado, não são sinônimo de vitória, ou não vitória em uma prova, mas se eles são uma ferramenta objetiva, na hora de avaliar o desempenho em uma prova e comparar com eventos que têm acontecido em períodos de temporada não distantes entre si, pois se sabe que os parâmetros do domínio da freqüência variam muito ao longo do ciclo vital.

“É a ciência que nos devemos apoiar para melhorar o dia-a-dia”

Saudações da costa leste norte-americana,

Santiago Sanz

Im a twitterman @santirun

Leave a Reply