Quando se treina…o cueces ou enriquece? | Um dia

Talvez tenha começado há pouco em motivos de fitness, ou talvez você levar muito tempo a ir ao ginásio. Se é assim, porque você pegou o hábito de os treinos e o corpo te pede cada vez mais, mas não falo de quantidade, mas de qualidade, de estímulos diferentes que façam trabalhar para o nosso organismo para buscar novas adaptações. Talvez não saiba, mas as adaptações são as que provocam as mudanças que fazem melhorar o nosso desempenho, perder peso, ganhar massa muscular, etc.

Para que essas adaptações ocorram, o estímulo deve cumprir os níveis mínimos. Se o estímulo é baixo ou ocorre em espaços de tempo muito distantes, não ocorrerá a adaptação alguma. Se ele for muito intenso, podemos submeter o corpo a um esforço demasiado elevado e também não conseguiremos essa adaptação. Como saber, então, como provocar essas adaptações?

O mais comum costuma ser aumentar as cargas, subindo os pesos que movemos, reduzindo as repetições ou reduzindo os intervalos, mas em raras vezes, fazemos as mudanças variando os exercícios, introduzindo elementos novos e pouco comuns. Hoje vou propor uma sessão utilizando como elemento principal uma fitball. Você sabe, aquelas bolas gigantes que existem nas salas de fitness e acima de tudo, pela sala de Pilates. Esta fantástica ferramenta também tem utilidade para as pessoas que vão ao ginásio. Fique atent@s que começamos a treinar.

Usando o fitball obtemos várias vantagens. Ao apoiar-se sobre uma superfície instável estamos trabalhando nossa propriocepção e o equilíbrio, provocamos mais adaptações, pois o apoio instável faz com que estejamos em uma luta constante de equilíbrio e desequilíbrio, envolvendo a nossa musculatura mais profunda. Além disso, também trabalhamos todo o Core, ativando a região lombar e abdominal, juntamente com os glúteos. Em suma, enriquece sua formação e não se cueces, pasándote o tempo entre máquinas e aparelhos, além disso, poupamos tempo, já que você não vai ter que esperar para encontrar um banco livre pela sala de fitness.

O que mais se pode pedir?

Supino sobre fitball

fitball1

O supino clássico, não pode faltar em nossas rotinas, mas usando como banco fitball, conseguimos melhores resultados, colocamos à prova o nosso corpo e conseguimos as tão desejadas adaptações que buscamos. Ao mesmo tempo que executamos a fase concêntrica (subida) podemos levantar um pouco a pelve e, desse modo, implicamos de um modo mais significativo dos glúteos.

Supino alternado (unilateral)

fitball2

Uma variante do exercício anterior, em que ao executar o gesto, usamos primeiro um hemicuerpo e depois o outro, provocando, mais uma vez, adaptações positivas e estímulos, com qualidade.

Aberturas sobre fitball e resistência elástica

fitball3

Esqueça as clássicas aberturas, com uma fitball e uma borracha tem mais do que suficiente para realizar as aberturas. Graças à soma de todos esses estímulos, temos um exercício super com o que trabalhamos todo o nosso trem superior.

Levantamento frontal com halteres

fitball4

O fato de ter que manter a posição correta de costas, sem a ajuda do encosto, reforçar a musculatura dos erectores espinhais e zona lombar. Uma vantagem de introduzir variações em nosso treinamento.

A imprensa francesa com borrachas

fitball5

Fique sobre o fitball e sujeita as borrachas sobre a tua cabeça, realiza a flexão de braços, de modo que os tríceps fiquem perpendiculares ao corpo. Você também pode tentar elevar ligeiramente o quadril, ao mesmo tempo que estende os braços.

No que diz respeito às séries e repetições tenha em mente que isso não é uma rotina completa, mas uma série de exercícios que você pode inserir em suas sessões de treinamento. Você pode realizar as séries e repetições que você está incluindo em sua rotina atual ou realizar de 3 a 4 séries de 10 a 15 repetições.

Como sempre, espero que vocês tenham resultado útil meus conselhos e que vos um feliz início de semana desportivo SPORTLIFER@S

Fotografia: Cesar Lloreda

instasport_raul (sport_raul)twittersport_raul (sport_raul)

Leave a Reply