QUEDA FISIOLÓGICA… COLAPSO SOCIAL | você Limites? Mais além deles!

… Esta mesma manhã às 6:44 o voo SQ068 da “Singapoire Airlines” tomava terra no Aeroporto do Prat de Barcelona… por trás ficavam 23 horas de voos e conexões (Sydney-Singapura-Barcelona), embora serei totalmente objetivo e catalogaré este vôo como o melhor de minha carreira profissional (totalizando cerca de 55 por ano e tire suas contas). … Como dizia atrás ficavam muitas horas que o organismo de qualquer ser humano, provocam desidratação, fadiga, falta de apetite e valorizando a perda fisiológica de forma explícita, um catabolismo muito aguda que leva os atletas de resistência prolongada uma diminuição da série vermelha (…) diante do horizonte atisbaba outra odisséia.

Não eram nem as 6:47 quando conectei meu celular e imediatamente recebi uma mensagem da companhia aérea “Spanair, que me informava que o meu voo para Alicante “JK 6714” tinha sido cancelado e que eu poderia ligar para um número 900 para informar-me da incidência… Dito e feito, eu marquei o número e… SURPRESA!, máquina que me adverte que SPANAIR encerrou ontem suas atividades e que devo seguir tais passos para que me devolvam-se integralmente o valor do meu bilhete e outros tantos para que me reubiquen em um voo para o meu destino…

Após este notición não é a que lhe deu mais risada… meus neurônios que pataleaban alegremente cansadas com uma função neurosináptica mais lenta e própria que a de muitos dirigente políticos deste país… A minha bunda que eu precisava urgentemente de um transplante do tecido epitelial e que poderia muito bem passar pelas mãos do renomado cirurgião “Cavados” ou meu companheiro de vôo Roger, que tinha acabado seu eterno idílio aéreo, em Barcelona, e que se apressou a ridicularizar com um “Foda-se Santi vá viajecito que tem tio”… Eu lhe respondi com um “Não vê se levas razão”.

Um voo de essas características dá para tudo o que se propõe, não digam que eu coloque a rolar no avião, pois não é minha intenção treinar a 11000 metros de altitude, embora isso de rolar por cima Cabul tem a sua “curiosidade”…

Neste vôo, eu segui a ler apaixonadamente as aventuras de Mickael e Lisbet, ambos os personagens principais da novela “Millenium”, mas tenho de destacar que “Stieg Larsson,” eu gosto menos do que o meu escritor favorito, outro sueco, com residência em Moçambique, para mim célebre “Henning Mankell”.

Também tenho estado a planear os meus treinos das próximas 3 semanas, onde já estarei preparando a maratona a consciência… Vejam este gráfico onde se vêem diferenças claras entre a quilometragem dos microciclos da primeira parte da temporada, os quais têm um foco maior para o 10000 e mioglobina como possui apenas que início na Segunda-feira que está focada na preparação para a Maratona… para lhe Dizer que já na semana seguinte, tocam 267 quilômetros cor e que amanhã, apesar de esta grande fadiga fisiológica e mental, vou tentar revitalizar as minhas sensações, com 25Km suaves e um passeio com as minhas filhas no parque. Foto … voltei da Austrália, com muita alegria, com marcas muito boas (124414 em 5000 e com chuva), (2537en a Oz Day de 10Km que pressupõe a minha quinta vitória na prova clássica internacional que decorre em pleno coração da metrópole aussie e meu sexagésima vitória internacional em estrada, a minha 18ª melhor marca em 5000 e apenas 25 segundos mais lento que o recorde da prova)

… Eu voltei de um país otimista, onde a cidadania tem muito peso, onde suas decisões contam e onde a política é um instrumento de apoio ao cidadão… Eu voltei de uma sociedade multicultural, onde todos os cidadãos são considerados australianos e todos valem o mesmo… Infelizmente eu desembarcado em Portugal um dia com neblina e chuva, não apenas a causada por diferentes fatores ambientais, mas por uma empresa que tem ido para o lixo e que o seu “chefe de fila”, parece que já passou página e trabalha na direção de um famoso clube de futebol britânico… para Trás mais de 2000 pessoas em situação de desemprego, muitas delas eu achei alicaídas esta manhã em Barcelona… Eu o incito a que estas linhas sirvam de apoio e que coloquem o seu grito no céu para que os “senhores de gravata” (os mesmos que ontem ainda vendia bilhetes horas antes de descer o pano)”aterrisem” no lugar onde o resto dos mortais convivemos e que o “colapso social” não se vislumbra, mas que se percebe e é sentida de forma inevitável. Para todos aqueles mortais que lutamos dia a dia para não cair no apesadumbramiento vão dedicadas estas linhas,

Cumprimentos e força, Santi

Leave a Reply