Teresina, 20:00 horas | Rosas do Deserto

pulseirasRecém-chegadas ao hotel após um dia inteiro de verificações técnicas dos carros, sanitárias e administrativas. Ele Nos conheceu a todos os participantes em uma área de serviço em que, após as verificações nos têm deleitado com um breafing em um super francês. Menos mal que a Marina, uma das meninas da organização, nos ia esclarecendo os pontos mais importantes.

No final do briefing, deram-nos as boas-vindas oficial para os três times espanhóis, com sua correspondente aplauso, vitoreo e vermelhidão no rosto, que eu não sei muito bem se era de vergonha ou dos quarenta graus de sensação térmica que tinha.

Entre as coisas que nos foram analisadas hoje estava o material obrigatório. Bastões, caixa de ferramentas, capacetes homologados, mantas térmicas, isqueiro (se, comprovaram que tínhamos um isqueiro), duas rodas de reposição, bidão de gasolina… Ontem à noite, ao descermos para Algeciras estávamos revendo mentalmente toda a bagagem. Simplesmente para matar essa estranha sensação que temos quando saímos de viagem. Essa sensação de que se nos esquecer algo. Se é assim, ainda não conseguimos precisou.

Aventureiros iniciantes; coisas que provavelmente não ocorreriam se você tivesse que ir para o deserto fazer um rally:

  • Levar as duas chaves do carro, cada uma de nós: parece que as chances de perder uma chave, enquanto você está indo para a duna para tirar a roda de seu carro, que são bastante altas.
  • Caixas de plástico: espera-se areia e pó nos lugares mais recônditos do carro, por isso que nestas caixas guardai a comida, medicamentos, material de higiene, etc… que possam estragar.
  • Espelho de sinais: típico espelho de higiene pessoal. É um dos materiais obrigatórios, que nos ordena a organização. Parece que em vez de fazer sinais de fumo, se nos perdemos, vamos fazer sinais com o espelho… de tudo, há que saber fazer na vida.
  • Medicamentos para todas as doenças que possa ter uma pessoa em uma média de três anos.

IMG_0801 hoje nos são entregues nosso primeiro livro de rota. Menos mal que este era simples, já que é praticamente tudo pela estrada, para ver o que estrada. No entanto, a lenda não tem preço:

Está claro que a cor predominante na competição é o rosa. Rosa em camisetas, bolsas, mochilas, carro… Carro cuja preparação seria considerada uma obra de engenharia. Engenharia ou master em Tétrix, já que transportar todo o material e bagagem sem que ele se mova, requer uma colocação estratégica.

Coche_preparado

Hoje temos capturado nossa primeira imagem.

Todos esses carros, todos esses “tanques”, que levam mensagens de entes queridos, fotos, adesivos, bandeiras e acima de tudo, meses de preparação.

Todas essas mulheres, cada uma com a sua história, cada uma com um motivo, cada uma com alguém em mente. A nossa primeira imagem, o nosso primeiro arrepio quando nos são desejou “boa viagem”. Eu não posso nem imaginar, como será o último.

Um adesivo com o logotipo do Troféu e nosso dorsal, indica-nos que já não há volta atrás.

Barco 4.00 am
Acordar cedo. Nos vemos em Marrocos.

Leave a Reply